terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Gotas de Chuva


Dedico este poema que criei cantarolando a música do Rui Veloso “ Para mim hoje é Janeiro…” ao meu mais que tudo.

Gotas de Chuva

Está a chover lá fora
E eu estou pensando em ti…
Uma doce nostalgia
Se apoderou de mim
Lembrando um passado
Que já longo vai então.

Cada gota é pra’ mim
Uma nova esperança
Da vida que dela brota
E de uma nova aliança.

Para mim hoje é passado
Porque o presente não corre
E o futuro já está
Com preguiças de demora.

Para mim hoje é cinzento
Com canduras lá ao longe
E a chuva que não pára
Vai-me torturar assim.

Ai como eu queria estar
Tão pertinho de quem gosto
E junto a uma lareira
Jogar o tempo fora.

Na beleza de uma tarde
Que de tão triste só chora
Só me alegro p’la lembrança
Que tudo terá bonança.

E nuns pinheiros distantes
Que abanam lá ao longe
Eu relembro a imagem
Que em mim ficou gravada.

Vai caindo levemente
Esta chuva malograda
Que tanto me acende
Como a seguir me apaga.

Qu’estas lágrimas de chuva
Caiam bem em quem eu gosto
E nos possam unir
Para uma vida d’aposta.

Mais um poema do grande baú das nossas cartas de Amor…
E vocês também escreveram/ escrevem cartas de Amor???

1 comentário:

Sol disse...

Ai as nossas cartas de amor, foi através delas que nos demos a conheçer, foi com elas que matamos as saudades um do outro.
Um dia havemos de publica-las, bem como os teus diários de menina mulher que aprendeu a ver o mundo com olhos de adulta muito cedo. Em cada plavra um beijo.

Beijos de Sol radiante por saber que a sua Lua brilha,
O teu Sol