quarta-feira, 11 de julho de 2007

A vagina


A vagina é como uma criança
Gosta de mimos e quantos mais melhor.
Se nunca os teve nunca os reclama
Se os experimenta quer sempre mais.
Tem vontades próprias…
Tanto se fecha embuchada
Como se abre às gargalhadas.
Rejeita os estranhos…
Gosta de mimos diferentes mas da mesma pessoa
Liga-se umbilicalmente a quem a Ama.
Tem vida própria…
“Respira”, “ Aquece”,” Come”
E talvez por ser criança dê vida a outras.

02/03/04

5 comentários:

carla granja disse...

olá. é de facto bastante verdadeiro a forma como descreves a vagina está muito bom e concordo com tudo.
eu tmb tenho um blog se kiseres dá uma olhada
http://paixoeseencantos.blogs.sapo.pt
bjo
carla granja

Joca Faria disse...

legal gostei...

Joca Faria disse...

http://www.myspace.com/jocafaria

Aucator disse...

Muito bonito o poema, só não concordo com "fidelidade" da vagina no poema, na prática vagina quer mesmo é diversidade de penis, umas 30% deles talves sejam fiéis

Eclipse com Amor disse...

Aucator:

O que seria da vida se não houvesse opiniões diferentes?
Eu acredito na fidelidade como algo que vem com o verdadeiro Amor, assim como o carinho, o respeito, a admiração, a dedicação,...
Quem sabe um dia não descobres o afrodisíaco da fidelidade?!

Um abraço e obrigada pelo comentário

Lua